A abertura oficial da Expointer destacou a importância de quem trabalha no campo

Até o tempo colaborou com a maior feira agropecuária a céu aberto da América Latina. A chuva parou, e o sol veio com força para espantar o frio e dar as boas-vindas à Expointer. Com o tema “Nossa gente, nossa força”, a 41ª edição do evento foi aberta oficialmente na tarde deste sábado (25), no Restaurante Internacional do Parque Estadual de Exposições Assis Brasil, em Esteio. Durante a solenidade, foi destacada a importância de quem trabalha no campo.

Serão nove dias de programação, com mais de 400 eventos e atividades para os visitantes. Só para ver os animais, que sempre são uma das grandes atrações, é preciso reservar um bom tempo: há mais de 6 mil bichos espalhados pelos pavilhões.

Um dos destaques da abertura oficial foi a entrega da medalha Assis Brasil, instituída em 1973, em reconhecimento a personalidades por serviços prestados na agricultura e na pecuária. Os agraciados foram Ricardo Barbosa Alfosin (advogado e presidente da Comissão Especial de Direito Agrário e do Agronegócio da OAB-RS), Rogério Jacob Kerber (consultor e presidente do Fundo de Desenvolvimento e Defesa Sanitária Animal), e Vasco Antônio da Costa Gama (agropecuarista e criador de gado, ovinos e equinos).

Força do campo

O governador José Ivo Sartori ressaltou a importância da Expointer para o Estado: “É o momento em que o Brasil e outros países reconhecem a força do agronegócio e da agricultura familiar do Rio Grande do Sul. Esta feira só existe porque existem as mulheres e os homens do campo. Um povo que ama a sua tradição, mas que também sabe ser inovador e desbravador”.

O secretário da Agricultura, Pecuária e Irrigação do RS, Odacir Klein, citou outro aspecto do evento: “É fundamental que a população urbana saiba o que se faz no campo. Eu gosto de lembrar que a Declaração Universal dos Direitos Humanos diz que todos têm direito à vida. Mas não há vida sem alimento. E aqui é uma demonstração de como nós produzimos os alimentos: com trabalho, integração e competência”.

O secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo, Tarcísio Minetto, falou de um dos setores que mais cresceram na feira em virtude de terem caído no gosto do público: “A agricultura familiar entrou na Expointer há 20 anos. Eram 30 expositores. Hoje, são 285. É o contato direto com o consumidor. É agregação de valor ao produto deles”.

O ministro-chefe da Casa Civil, Eliseu Padilha, afirmou que o crescimento da Expointer reflete o protagonismo do setor rural: “Nos últimos 40 anos, o Brasil passou de importador a exportador de alimentos. Somos o segundo maior exportador de alimentos do mundo. Graças ao pequeno, ao médio e ao grande produtor”.

O prefeito de Esteio, Leonardo Pascoal, enfatizou em seu discurso o significado da palavra “esteio”. “É sinônimo de sustentação. E é justamente isso que a agropecuária tem sido para a economia dos municípios, do Estado e do País”, destacou.

A solenidade de abertura da Expointer terminou com a apresentação de Thomas Machado, que cantou o Hino do Rio Grande do Sul. A feira prossegue até o dia 2 de setembro, das 8h às 20h30min.

Comentários